sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Que sabia eu da dor
antes de te perder?
Que sabia eu da morte
antes de ela te levar?
Que sabia eu da surpresa
antes de ires tão sem aviso?

Nada.

E dói tanto.



Faz um mês que partiste, pai, e eu ainda nem acredito...

6 comentários:

Sandra disse...

Revi-me em cada linha :(
Beijo

Pensamento Retorcido disse...

Força Prof. Filipa, a dor é algo que nos acompanha dia após dia, a saudade é imensa, mas para orgulharmos quem já partiu temos de ver o amanhã, o depois de amanhã e o futuro que nos aparece. O seu pequenito há-de mostrar o caminho e a força dele há-de vir, em cada gesto e cada sorriso, e o seu pai há-de vos acompanhar sempre, no pensamento e no sentimento... Força!

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Filipamiga

A Sandra éke me meteu ao barulho; e bem, e muito bem.

Tenho dito e redito que eu sou mais de prosa: jornalista e dizem que escritor... dizem. Mas, naturalmente, também gosto de poesia. Tento desesperadamente fazê-la, mas só me saem versos de pé quebrado...

Filipamiga, é bonito
o que tu versas tão bem.
Belo texto, belo escrito
gostava de o fazer também...

De poesia só sei
parir umas quantas quadras
que são como o bolo-rei:
saem sempre avariadas


Prontos (sem s). Agora é a tua vez de ir até à Minha Travessa. Com comentários e (per)seguição. A Sandra já foi e... disse-me que gostou. Enfim, favores éoké

Qjs = queijinhos = beijinhos

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

ADENDA

E, ainda que o devesse ter feito em primeiro lugar, estou contigo, porque a Solidariedade e a Amizade não podem ser palavras vãs. E os amigos também são para as ocasiões. Sempre.

+ qjs

Viagem Sem Retorno disse...

Adorei!!!

Aproveito para deixar o endereço do meu blog http://viagemsemretorno.blogspot.com/

Anônimo disse...

Amo-te infinitamente

Mainha