quarta-feira, 15 de abril de 2009

Ter-te sem ainda te ter

Quando o meu corpo deixa de ser
o invólucro só da minha alma
mas também do teu corpo;

Quando és pele da minha pele;
Quando dançamos cá dentro
ao som do compasso acelerado;
Quando trago à cintura uma muralha protectora...

É agora que és meu!
Só agora é que és meu!

5 comentários:

Anônimo disse...

...É agora que és meu!
Só agora é que és meu!....

Agora a menina já percebe o que eu dizia :)....aproveita cada momento não há nada mais sublime.
...sem ser Meu, também é meu :))

Poema belissimo
Bacci
mommy

JOICE WORM disse...

UAUUUUUUUU!
Como pude deixar de vir aqui há tanto tempo... Só visto!
Um beijooooooo de muitas saudades da Joice.

Anônimo disse...

antes de mais muitos parabens pela gravidez, felicidades que corra tudo pelo melhor.

Sinceramente nem sei qual dos textos é que hei de atrever a comentar, são todos sinceros (enfim, todos propõem a uma leitura agradável). Vou seguir atentamente os seus posts. Talvez tenha encontrado um novo motivo para me sentar ao computador, não monotonamente. Assinado : Joana lobo (aquela da mesa, amiga da Cláudia).

Vicko'Me disse...

mto bem, a redundancia da maternidade...lol..ta mto bom...

" o gajo do léxico"...

Parapeito disse...

:))Tenho cá para mim...que apesar de agora ser teu só teu...quando vier ao mundo...será teu muito teu!!
Lindo Lipa....e essa avó desnatada...baba baba baba muito :))
Um abraço para ti e para o petit prince ***