quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Sem

Sou um barco amarrado a uma bóia, num porto qualquer.
Sem que uma tempestade rebente com a corda e me deixe à deriva.
Sem que a maré, ao menos, se agite e me faça dançar.



2 comentários:

tb disse...

É bom esperar pela vida mas também devemos fazer por que aconteça. :))) muito belo, Lipa!
beijinho

Amândio Dos Santos de Almeida disse...

Dou os meus sinceros parabéns a quem fez este lindo blog.