sexta-feira, 2 de maio de 2008

Cá dentro

Acordo virgem
Para experimentar tudo
Pela primeira vez outra vez.
Vou pelo mundo descalça
Para melhor sentir a totalidade,
Absorvendo o universo
Em demorados goles.

Bebo, sedenta do tudo
Que me rodeia.

Os sorrisos, os olhares,
Os silêncios, a natureza,
Os animais, os sábios
E os ignorantes.
Tudo trepa pelo meu corpo
E se instala debaixo da pele.

Começo lentamente
A cozinhar experiências.
Pinto telas
Com as aguarelas do sentir.
Danço com o que vivi

E com o que incorporei em mim.
E as realidades ou utopias
Minhas ou de outrem
Que me entraram nos poros
Saem-me agora
Como um metal líquido
Pelos dedos…

Dou a mão à loucura
E viro-me para dentro:
Seduzo sensações
Transbordo em pensamentos
E nesse cristalino lamaçal
Nasce-me a filha: a poesia.

4 comentários:

blueminerva disse...

É um novo fôlego de sensações e emoções. Está magnífico... uma vez mais.

Um abraço

JOICE WORM disse...

Acordar virgem de experiências e sensações, sentimentos e conhecimentos, não deveria ser algo raro Filipa. Por vezes dá mesmo vontade de começar tudo outra vez...

m@tix disse...

exelente Blog, Parabéns....
banner está genial
Já estás nos meus favoritos
;)

Vertigo disse...

eu não consigo escrever assim.já tentei..humppffff

um beijo